Acordo de cooperação assinado entre Embraer e Boeing

Embraer e BoeingAs duas maiores empresas aeroespaciais do mundo, Embraer e Boeing, firmaram recentemente um acordo importante para aumentar a eficiência operacional, produtividade, segurança e atingir maior satisfação dos clientes, criando assim maior valor para ambas e seus consumidores, empresas de linhas aéreas.

O acordo foi assinado na última segunda-feira, dia 9 de Abril, por Frederico Curado, presidente e CEO da Embraer S.A., e Jim Albaugh, presidente e CEO da Boeing Commercial Airplanes, durante a visita da presidente Dilma Roussef aos Estados Unidos, em seguida à reunião anual do Fórum Brasil Estados Unidos de CEOs, uma parceria público-privada que reúne diretores executivos dos dois países.

As empresas, que fornecem aeronaves para as mais importantes linhas aéreas do mundo, firmam acordo que irá organizar diversas áreas de cooperação, em recursos para aeronaves comerciais para a melhoria de segurança e eficiência durante os voos, pesquisa, tecnologia e biocumbustíveis direcionados à uma aviação mais sustentável.

Albaugh destaca que a parceria entre os dois líderes do mercado aerospacial oferece oportunidades reais para as empresas de linhas aéreas e demais clientes reduzirem os ses custos operacionais e melhorarem a eficiência dos voos de suas frotas, finalizando: “Estamos trabalhando com a Embraer para contribuir com o crescimento da nossa indústria, construindo uma relação produtiva que vai beneficiar nossas empresas e países”. A Boeing mantém parceria com o Brasil desde 1932 quando forneceu caças ao exército e em 2011 abriu escritório no país. Já a Embraer possui presença corporativa em solo norte americano há três décadas e no ano passado começou a fabricar jatos executivos na Flórida.

Novidades no passageiro frequente na Copa Airlines

Copa AirlinesAs linhas aéreas Copa Airlines anunciam a entrada em vigor do seu novo programa de passageiro frequente MileagePlus®, no último dia 3 de março, resultado da fusão entre United Airlines e Continental Airlines. Aqui estão reunidos os melhores benefícios dos premiados programas de passageiro frequente OnePass e MileagePlus.

O MileagePlus é um programa de passageiro frequente da rede de linhas aéreas da Star Alliance, que, por ser o mais amplo em nível mundial, oferece aos sócios mais alternativas para acumular e resgatar milhas dos voos. A Star Alliance reúne 27 companhias aéreas que operam mais de 21 mil voos diários para cerca de 180 países e se conectam com mais de 1 250 aeroportos, garantindo acesso a 990 salas VIP ao redor do mundo.

Copa AirlinesPor oito anos consecutivos, o MileagePlus, foi eleito o melhor programa de passageiro frequente pelos leitores da revista Global Traveler. O MileagePlus contempla vários benefícios. Tem mais opções para acumular e resgatar milhas de voos, mais milhas-bônus por tipo de tarifa comprada, voos para mais de 1250 destinos, novo programa Premier®, benefícios na rede Star Alliance. Para Marco Antonio Ocando, diretor de Mercado da Copa Airlines, existe um grande orgulho no programa passageiros frequentes ter um padrão mundial. “Esta aliança é uma decisão em benefício de nossos viajantes.”.

Para o diretor, o avanço no compromisso de oferta de vantagens para os passageiros e a melhor opção de conectividade dos voos entre os destinos da Colômbia e o mundo, por meio dos 63 destinos em 29 países, onde mantêm operações. As milhas acumuladas nos voos, até então, e o status Elite dos sócios OnePass serão mantidos e a inscrição para o MileagePlus será realizada de forma automática.

Lufthansa Business Class conta com novo assento

Lufthansa Business ClassA empresa de linhas aéreas Lufthansa investe cada vez mais no conforto de seus passageiros, dessa vez a novidade fica por conta do assento da Lufthansa Business Class estreia com uma área horizontal de 1,98 metro de comprimento. Durante os voos a poltrona proporciona o máximo conforto e muita facilidade em seu controle: para transformá-la de assento em cama, basta pressionar um botão.

A nova Business Class estará disponível nos voos da empresa de linhas aéreas dentro de algumas semanas, quando o novo jumbo Boeing 747-8 iniciará seus serviços regulares. Jens Bischof, membro da diretoria da Lufthansa Passage, comentou: “Nossos clientes participaram intensamente do desenvolvimento da nossa nova Business Class a fim de podermos oferecer um produto inteiramente afinado com as expectativas dos passageiros”. E é pensando nesses passageiros que a linhas aéreas oferece seu novo assento, que destaca-se pelo conforto extremo oferecido ao passageiro para deitar e sentar-se, com operação intuitiva, espaço adicional para pertences e sistema de entretenimento melhorado. A escolha pelo equipamento surgiu de uma pesquisa realizada ainda em 2007, quando a empresa perguntou a mais de 500 Frequent Travellers dos seus voos, quais as preferências e exigências quanto ao novo assento Business Class.

Lufthansa Business Class“A área horizontal para deitar tem importância central para nossos passageiros. Esse desejo era o foco principal de todas as demais considerações. Além disso, melhoramos muitos outros detalhes que, somados, oferecem o maior grau de conforto possível”, explica Jens Bischof. Vários modelos foram desenhados e desenvolvidos por ergonomistas, designers e fabricantes de assentos, depois disso testados em voos para certificarem-se do seu conforto, operação e estabilidade técnica.

A Business Class é o maior investimento em produtos de bordo da história da Lufthansa linhas aéreas, foram aplicados cerca de 3 bilhões de euros na melhoria de produtos para os passageiros nos próximos anos.

Brasil tenta solucionar problemas até a Copa

Copa airlinesAldo Rebelo, o ministro do Esporte do Brasil, garantiu à imprensa na última sexta-feira, dia 9 de Março, que os 12 estádios que receberão jogos oficiais do Mundial de Futebol de 2014 estarão prontos a tempo do início das atividades. Rebelo destacou no entanto, que o país sofre ainda com problemas de infraestrutura e serviços, deficiências que precisam ser resolvidas brevemente. O país sofre com problemas relativos a hotéis, que estão abaixo da oferta desejada em termos quantitativos e qualitativos e com problemas à recepção de mais voos nos aeroportos.

Rebelo amenizou o problema dos aeroportos e comentou: “O Brasil não tem problema na capacidade de pousar ou decolar um avião. O problema é nos serviços que se oferecem nos aeroportos. Quanto tempo um turista que vem de voos do exterior leva para pegar sua bagagem? É um tempo exagerado e sem necessidade. Não precisa de infraestrutura nenhuma. Precisa de mais gente da Polícia [Federal] e da Receita Federal para cumprir sua tarefa. Também é preciso que a companhia aérea tenha uma alternativa para prestar um serviço em casos de pane de sistemas. Toda empresa tem que estar prevenida para essa hipótese, para evitar filas”. A esquiva ainda não convence a opinião pública de que o país não sofrerá com atrasos dos voos e despacho de bagagens nos grandes eventos esportivos.

O ministro do esporte mostrou que os problemas do Brasil para sediar os jogos da Copa do Mundo não limitam-se aa questões sobre hotéis e voos e que o país precisa sanar problemas com as telecomunicações, que já apresentaram colapsos durante o último carnaval, reforçar a segurança e montar um aparato de saúde pública reforçado.

Copa airlines

O valor da hospedagem no Brasil

hospedagem no BrasilDe acordo com o índice HPI (sigla para Índice de Preços de Hotéis em inglês, os brasileiros gastaram mais com hospedagem pelo país do que em viagens ao exterior no primeiro semestre de 2011. Estes turistas pagaram, em média, R$ 274 com hotéis no Brasil e R$ 255 em outros países em comparação ao mesmo período em 2010.

Firme no topo da lista, o Rio de Janeiro continua sendo a cidade mais cara para se hospedar no Brasil, com turistas pagando, em média, R$ 328 por quarto. O alto valor das diárias na cidade também afeta o turista estrangeiro que visita o Brasil, já que a capital carioca foi a mais cara do mundo na categoria quatro estrelas, com quartos custando R$ 528 por noite em média.

A capital econômica brasileiraSão Paulo – pulou da terceira para a segunda posição, após aumento de 17% nas tarifas dos hotéis. Refletindo a grande demanda corporativa, os quartos de hotéis paulistas custaram, em média, R$ 281. O terceiro destino doméstico mais caro para os brasileiros foi Aracaju.

Após queda de 15% e com quartos a R$ 166 em média, em Foz do Iguaçu foram apresentados como hotéis baratos, ou seja, com as melhores tarifas no país. Curitiba, que na edição anterior do HPI era o destino nacional mais barato para se hospedar, registrou o maior aumento do período – 28%, passando para R$ 210, em média, impulsionado pela alta demanda de negócios e turistas.

Em segundo e terceiro lugares na lista das cidades mais baratas estão Fortaleza (R$ 180) e Recife (R$ 200), que registraram aumento de 4% e 12%, respectivamente.

X